quarta-feira, 13 de julho de 2011

O MALDITO QUE CULTIVAVA ORQUÍDEAS

Neusa Borges


Ele foi compositor, cantor, instrumentista, arranjador e produtor musical. A sua língua afiada, bem como o fato de não ter se submetido ao controle das poderosas gravadoras, foram fatores decisivos para que recebesse o apelido de maldito.

[Foto: Vange Milliet]

E é sobre a vida e a obra do bendito “maldito” Itamar Assumpção, que trata o imperdível documentário Daquele Instante em Diante, que está em cartaz nas salas de cinema Unibanco.

[Foto: Divulgação]
Para os admiradores de Itamar, é uma grande oportunidade para rever cenas de vários shows que o artista realizou ao longo da sua carreira, encerrada com a sua morte, em junho do ano de 2003. Para quem não acompanhou a sua trajetória artística, assistir ao documentário sobre o artista negro (que sentiu na pele as consequências de viver num país racista) e de uma incontestável genialidade, é a possibilidade de entender o que foi a luta de alguém que, por não ter se rendido à indústria cultural, viveu na dureza e morreu sem ter visto a sua obra devidamente reconhecida.

Um dos momentos mais emocionantes do documentário, diz respeito aos relatos sobre a paixão que Itamar nutria pelas orquídeas, que ele cultivava no quintal da sua casa, no bairro da Penha, em São Paulo.

Um comentário:

  1. Valdecirio Teles Veras15 de julho de 2011 16:57

    As orquídeas, vieram de Portugal,cuidadas por Lourdes Agrela, minha sogra, falecida há uma década,ainda hoje renascem e florescem, como se continuassem tratadas por ela. Quando as colhemos não desgrudamos nossos olhos das flores na certeza de que algo místico nos une. O documentário sobre Itamar Assunção nos leva ao grande intérprete e orquidófilo. Saudades,também, de "tu". Valdecirio Teles Veras

    ResponderExcluir

Se você não tem cadastro no Google, pode deixar seu comentário selecionando a opção Nome/URL no campo Comentar como logo abaixo.